Fisioterapia

Aqui você vai encontrar todas as especialidades e o que cada uma delas tem a oferecer.
RPG
 

    Fisioterapia de RPG consiste em um método fisioterapêutico cuja finalidade é corrigir problemas de postura através de técnicas específicas de alongamento do tecido muscular. A sigla RPG significa Reeducação Postural Global.As técnicas foram desenvolvidas na França, no início da década de 1980, pelo terapeuta Philippe Souchard. Após vários anos de estudos e pesquisas foi elaborado um método fisioterapêutico de correção postural, trabalhando o paciente de forma global.A RPG tem o objetivo de prevenir e tratar lesões osteomusculares e outras alterações posturais, recorrendo a posturas terapêuticas que relaxam as cadeias musculares encurtadas por alguma lesão ou por se manterem estáticas, amenizando dores cervicais e lombares.Através da RPG, o paciente beneficia ainda do fortalecimento do tônus postural, da eliminação de tensões acumuladas por problemas emocionais, do alívio de problemas pulmonares, entre outros.Os exercícios de respiração que fazem parte das sessões de RPG são altamente favoráveis para o equilíbrio emocional e melhora da qualidade de vida do paciente.As posturas de RPG são orientadas por um fisioterapeuta, através de um tratamento individual e não tem restrições de idade, sendo indicado a pessoas de qualquer faixa etária.

 

NEUROLÓGICA
 

   A fisioterapia em neurologia, também chamada de fisioterapia neurológica ou fisioterapia neurofuncional, tem como objetivo o tratamento e a diminuição dos sintomas de alterações neurológicas, que compreendam ou não problemas motores. Ela atua na restauração de funções como a coordenação motora, o equilíbrio, a força e os movimentos.Esse ramo da fisioterapia é procurado principalmente por adultos e idosos, mas também atende crianças.Como funciona a fisioterapia neurológicaDentre as doenças mais conhecidas e que necessitam da intervenção da fisioterapia estão a paralisia cerebral, a esclerose múltipla, o acidente vascular encefálico (ou acidente vascular cerebral ou AVC), o Mal de Parkinson, o Mal de Alzheimer e o traumatismo crânio encefálico decorrente de acidentes e traumas em geral. Porém, diariamente diversas outras doenças e transtornos surgem e se apresentam dentro da área da fisioterapia em neurologia.As técnicas são aplicadas em pacientes que apresentam alguma alteração nos seus movimentos ou até mesmo paralisia de um ou mais membros do corpo. Para que esses parâmetros sejam suavizados ou normalizados, os tratamentos mais usuais dentro da fisioterapia neurológica consistem na utilização de recursos como a eletroestimulação, as terapias manuais e os simuladores de movimento, tanto em consultório quanto em home care. 

TRAUMATOLÓGICA
 

     Lesões ou doenças que afetam os ossos, músculos e ligamentos estão dentro da área médica da ortopedia. Fisioterapia ortopédica é a área mais comum associada a esta profissão, que engloba lesões esportivas, o desgaste, bem como pequenos e grandes traumas, pós-condições cirúrgicas e doenças congênitas. Esta fisioterapia oferece cuidados pré e pós operatório para os clientes com próteses. O desgaste perante um conjunto requer a substituição, o que leva anos. Junto com isso vão-se os tecidos moles (músculos e ligamentos de adaptação), padrões de marcha mais pobres e os desequilíbrios musculares que podem ser minimizados antes da cirurgia.

CARDÍACA
 
 

      A Reabilitação Cardíaca é a aplicação do exercício físicos orientado e assistido em sua forma preventiva e terapêutica. Tem como objetivo a melhoria do condicionamento físico, qualidade de vida e redução dos fatores de risco associados a doenças cardiovasculares e às suas complicações.

   Indicação:Portadores de doenças cardiovasculares, como insuficiência coronária (angina, infarto, pós-angioplastia, pós cirurgia de revascularização miocárdica), valvopatias, portadores de cardiopatias congênitas, pós transplante cardíaco, portadores de marcapasso, insuficiência cardíaca e hipertensão arterial; doenças pulmonares e distúrbios metabólicos, como diabetes, dislipidemia (colesterol e/ou triglicérides elevados) e obesidade.

    Benefícios:- Recuperação da capacidade física;- Retorno precoce ao trabalho;- Alívio dos sintomas e sensação de bem-estar geral;- Retardamento do processo aterosclerótico;- Diminuição dos níveis de triglicérides e aumento dos níveis de HDL colesterol;- Melhora da função respiratória;- Redução da pressão arterial e freqüência cardíaca de repouso e exercício;- Melhora da sensibilidade à insulina e controle glicêmico;- Redução do risco de novos eventos cardíacos;- Melhora dos aspectos psicossociais.

RESPIRATÓRIA
 

     O objetivo da Fisioterapia Respiratória não se restringe apenas ao tratamento, englobando também a prevenção às doenças respiratórias. Além disso, as técnicas aplicadas visam à liberação das vias respiratórias, a fim de retirar os impedimentos que o ar encontra ao passar por elas. O fisioterapeuta procura aumentar a capacidade ventilatória dos pulmões de seu paciente, utilizando-se de aparelhos específicos para a mobilização da secreção para facilitar a sua retirada.Os exercícios respiratórios são de extrema importância para o andamento do tratamento junto à aplicação das demais técnicas da Fisioterapia Respiratória. Os exercícios propõem a melhora na condição respiratória do paciente a partir da mobilização dos músculos ventilatórios que compõem seu sistema respiratório e pode ainda ser realizada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), incluindo aqui pacientes que estejam entubados, necessitando da ajuda de aparelhos para respirar.A Fisioterapia Respiratória atua ainda como forma de prevenção para o aparecimento de complicações respiratórias dos pacientes, considerando principalmente aqueles que estejam internados e imobilizados. Esses certamente precisam realizar tanto a fisioterapia motora quanto a respiratória durante sua permanência no leito hospitalar, a fim de garantir a melhoria na condição geral do paciente por meio de técnicas que contemplem ambos os sistemas, respiratório e cardiovascular.

PEDIÁTRICA
 

     Fisioterapia de RPGconsiste em um método fisioterapêutico cuja finalidade é corrigir problemas de postura através de técnicas específicas de alongamento do tecido muscular. A sigla RPG significa Reeducação Postural Global.

As técnicas foram desenvolvidas na França, no início da década de 1980, pelo terapeuta Philippe Souchard. Após vários anos de estudos e pesquisas foi elaborado um método fisioterapêutico de correção postural, trabalhando o paciente de forma global.

A RPG tem o objetivo de prevenir e tratar lesões osteomusculares e outras alterações posturais, recorrendo a posturas terapêuticas que relaxam as cadeias musculares encurtadas por alguma lesão ou por se manterem estáticas, amenizando dores cervicais e lombares.

Através da RPG, o paciente beneficia ainda do fortalecimento do tônus postural, da eliminação de tensões acumuladas por problemas emocionais, do alívio de problemas pulmonares, entre outros.

Os exercícios de respiração que fazem parte das sessões de RPG são altamente favoráveis para o equilíbrio emocional e melhora da qualidade de vida do paciente.

As posturas de RPG são orientadas por um fisioterapeuta, através de um tratamento individual e não tem restrições de idade, sendo indicado a pessoas de qualquer faixa etária.

REUMATOLÓGICA
 

     A Fisioterapia reumatológica consiste basicamente no tratamento de patologias crônico-degenerativas, tais como: artrite reumatóide, artrose, osteoporose, osteoartrose entre outras.

A prevalência dessas patologias aumenta com a idade e, como são crônicas, quanto antes e melhor for seu tratamento, menores as chances de desenvolverem-se, seqüelas que possam alterar a qualidade de vida do indivíduo.

Com a fisioterapia obtem-se orientações quanto:

- Ao desenvolvimento da patologia;- Realização das AVD’s sem agressão às articulações que podem gerar dor e dificuldade de movimento;-  Realização de atividades de lazer e vida pessoal, o mais próximo possível. 

Diante de um paciente com doença crônico-degenerativa o objetivo da fisioterapia é minimizar dores e incapacidades geradas por tais patologias através da utilização de recursos eletroanalgésicos, da aplicação de técnicas de terapia manual e de atividades que estimulem a movimentação articular buscando assim prevenir a instalação de deformidades, bem como evitar a progressão de deformidades já instaladas, buscando sempre manter uma boa qualidade de vida.

 

GERONTOLÓGICA
 

   A Fisioterapia geriátrica é o ramo da Fisioterapia que estuda os movimentos e a funcionalidade em pessoas idosas. É a prática de assistência ao idoso.

O ramo

O envelhecimento normal devido ao desuso e aos problemas de recondicionamento, cardiovasculares como as doenças vasculares e o derrame, e aos problemas esqueletais, que incluem condições de osteoporose e da osteoartrite, tais como recolocações de joelho e de quadril. Os fisioterapeutas usam a reabilitação a fim de devolver ao paciente uma qualidade perdida, podendo usar terapias físicas e/ou Terapia ocupacional

Os tratamentos e prevenções

    Enquanto envelhecemos, acabamos enfrentando muitas mudanças físicas e emocionais, que podem afetar nosso nível de função e bem estar.

A reabilitação mantém a independência funcional nas pessoas idosas. É imperativa ao bem estar deles e da sociedade, de modo que nós possamos prosperar social e economicamente. Essencial à fisioterapia geriátrica é a comunicação, especificamente melhorando todo o prejuízo sensorial, incluindo aqueles relativos à visão e à audição. A prevenção das quedas e da osteoporose pode melhorar a saúde e longevidade dos pacientes. Acabar com a má nutrição, pode remover, curar e vitalizar o paciente para participar de um programa de reabilitação formal. A Depressão pode se tornar comum na população idosa, caso uma perda funcional de mobilidade e de habilidade de executar atividades do dia-a-dia. O prejuízo cognitivo, tal como o delírio e a demência pode afetar os objetivos e resultados da reabilitação dos pacientes.

DESPORTIVA
 

   É o ramo da fisioterapia direcionado às necessidades específicas de atletas amadores ou profissionais. Eles são expostos à condições de sobrecargas muscular e óssea com mais frequência que os indivíduos que não praticam esportes, o que aumenta a necessidade de cuidados mais vigorosos em relação às lesões por eles sofridas. 

Intimamente ligada à medicina esportiva, a fisioterapia desportiva tem como principal objetivo melhorar as condições físicas dos atletas para que eles possam retomar o mais rápido possível as suas atividades, tanto as rotineiras quanto as relacionadas aos exercícios físicos que praticavam antes.

   Após uma lesão no conjunto músculo - esquelético do paciente, o fisioterapeuta tem a função de orientar o atleta a fim de evitar sintomas e riscos decorrentes da lesão que já ocorreu. Além disso, ele realiza frequentes avaliações funcionais para verificar o condicionamento do paciente, o andamento da recuperação das lesões, além de auxiliar na prevenção do aparecimento ou retorno da lesão ou dos sintomas decorrentes dela. Os transtornos mais comuns são as tendinites, as lesões ligamentares, as contusões e distensões, as entorses, as luxações e subluxações, as fraturas e abrasões, além de bolhas, calos, e cortes em geral.

   O fisioterapeuta esportivo deve buscar o melhor atendimento ao atleta, focando na rapidez da sua recuperação e tendo total atenção ao controle da lesão. Ele também deve ter o cuidado de elaborar um programa ideal e individual para o atleta, aliando a correção postural aos exercícios realizados com o intuito de melhorar seu condicionamento físico, potencializar o ganho de força e a resistência muscular, e torná-lo apto para o retorno à prática saudável dos esportes. 

   Indicada para todas as idades, a fisioterapia esportiva é uma das especialidades da Central da Fisioterapia, que conta com os melhores profissionais e equipamentos específicos para a plena recuperação dos atletas, permitindo que eles sejam tratados no conforto de sua casa, agilizando ainda mais o processo de recuperação.

OBSTETRÍCIA
 

    A fisioterapia em obstetrícia é uma especialidade de grande importância no atendimento de gestantes, já que este é um momento importante na vida da mulher. Nesta fase pode ser beneficiada com o atendimento durante a gestação, trabalho de parto e puerpério (pós-parto). Para tanto, tem como objetivo tratar algumas alterações comuns durante a gravidez ou prevenir qualquer disfunção inerente à esta condição, tranquilizar a gestante durante o trabalho de parto, diminuir a dor e reduzir o tempo de duração do mesmo, acelerar o retorno as condições não gestacionais e a atividades diárias, além de reabilitar as complicações apresentadas no puerpério. Este tratamento realizado em domicílio reduz o transtorno de locomoção e proporciona maior comodidade a gestante.

 Fisioterapia: Gestação

   A gestação é uma experiência única na vida da mulher. É um momento em que ocorrem muitas mudanças, tanto no seu corpo quanto em sua vida social. No entanto, estas alterações devem ser diferenciadas de distúrbios que podem ser detectados e tratados durante a gestação. Diante disso, o tratamento fisioterapêutico irá ajudar a minimizar as conseqüências destes distúrbios. 

Fisioterapia: Trabalho de Parto

   O trabalho de parto é um momento de muitas dúvidas e medos nas gestantes, mesmo nas mulheres que não são mamães de primeira viagem. Muitos destes questionamentos vêm devido a falta de conhecimento sobre este período. Diante disso, a fisioterapia se torna uma aliada, pois além de levar informações, deixa o trabalho de parto mais tranqüilo, podendo até diminuir o tempo de duração do mesmo.

Fisioterapia: Pós Parto

   O puerpério é o momento em que a mulher está totalmente voltada para o bebê e que o seu corpo está retornando ao que era antes da gravidez. Deste modo, ela também necessita de cuidados e orientações para acelerar este processo. Assim, a fisioterapia irá ajudá-la a manter o seu corpo mais saudável, retornar as suas atividades do dia-a-dia, facilitando o seu deslocamento e permitindo maior interação com o seu bebê no lar

PÓS-MASTECTOMIA
 

   O câncer de mama representa importante problema de saúde para a população feminina de todas as partes do mundo. O diagnóstico e o tratamento de lesões precursoras podem evitar o surgimento do câncer. O diagnóstico precoce de formas iniciais de câncer permite tratamento não mutilante com alta taxa de curabilidade. Não há como prevenir o aparecimento de tal patologia, mas o auto-exame e a detecção precoce influenciam diretamente no prognóstico.Fatores de Risco: fatores genéticos, fatores hormonais, fatores nutricionais, fatores histopatológicos, fatores decorrentes de radiação.Não há como prevenir o aparecimento de tal patologia, mas o auto-exame e a detecção precoce influenciam diretamente no prognóstico.Vários exames são utilizados na investigação diagnóstica. A Mamografia, mais nítida após os 40 anos, pois a mama perde tecido adiposo; U.S. mamária, complementando a mamografia; Citologia oncótica e Biópsia do nódulo.A retirada da mama, ou de parte dela, em casos de câncer localizado, foi descoberta e escolhida como forma de tratamento mais eficaz. Atualmente, encontramos os seguintes tipos de cirurgia em pacientes portadoras de Câncer de Mama, dependendo do grau e da evolução da tumoração existente:

* Exerese do nódulo - retirando apenas o nódulo canceroso, sem comprometimento de linfonodos;

* Quadrantectomia - retirada do quadrante envolvido e linfonodos axilares, muito utilizada em nódulos de pequenas proporções;

* Mastectomia - retirada total do tecido mamário. Esta pode ser realizada de três maneiras, comprometendo as funções da paciente a depender do quadro já instalado e do método cirúrgico utilizado como tratamento curativo. Logo, encontraremos:1. Mastectomia Higiênica - retirando apenas o tecido mamário, para alívio da dor e do sofrimento em casos de metástase, sem indicação curativa, nem esvaziamento axilar.2. Mastectomia a Haested ou Radical - retirando o tecido mamário, peitoral maior, peitoral menor, linfáticos e fibrogranulosos axilares, com incisão horizontal mais freqüente.3. Mastectomia a Patey ou Radical Modificada - retirando a mama, peitoral menor e linfáticos axilares, preservando o peitoral maior, protegendo assim o gradil costal e mantendo uma melhor movimentação do membro superior homolateral.Alguns exames pré-operatórios são necessários para a escolha adequada do método cirúrgico. Entre eles, a Cintilografia óssea, para verificar a presença de metástase, U.S. hepática, Raio X de tórax, Exames laboratoriais e ECG para pacientes mais idosas.O tumor mamário mais comum é o Carcinoma Ductal Infiltrante, que, dependendo do estágio em que chega ao hospital, pode ou não passar por sessões de Radioterapia e Quimioterapia, para redução do nódulo, possibilitando o procedimento cirúrgico. São feitas 25 ( vinte e cinco ) aplicações de Radioterapia em 25 ( vinte e cinco ) dias consecutivos no campo delimitado pelo médico e 6 ( seis ) ciclos de Quimioterapia, além da Hormônioterapia antiestrógeno por 5 ( cinco ) anos para inibir o crescimento celular.A Avaliação Fisioterapêutica pré-operatória é essencial para o acompanhamento geral das conseqüências provenientes da cirurgia, elaboração de um prognóstico de recuperação e conscientização da paciente sobre a importância e os procedimentos da Fisioterapia no Pós-Operatório, além de esclarecer sobre a cirurgia, caso a mesma ainda não o saiba.Nesta etapa, o Fisioterapeuta busca a anamnese e toda a história clínica da paciente nos formulários hospitalares, pastas e prontuários, que contém todos os exames realizados, e explicados anteriormente. É extremamente importante que o Fisioterapeuta esteja a par de todas as informações relevantes sobre cada paciente a ser tratado. É feita a coleta dos dados, sinais vitais (FC,FR, TA) , ausculta pulmonar, avaliação das ADMs globais e força muscular, postura, presença de deformidades e, não menos importante que todas essas informações, devemos estar atentos ao estado emocional da paciente, que poderá interferir diretamente na evolução do tratamento pós-cirúrgico, melhora do quadro e realização das condutas.

   O Fisioterapeuta deve ter conhecimento aprofundado das complicações pós-cirúrgicas da mastectomia, e ter realizado uma prévia avaliação da paciente para elaborar um programa de reabilitação relacionando os estados pré e pós-operatórios.As complicações mais comuns são:* Escápula alada - devido à fraqueza do Serrátil anterior;* Lesões das raízes do Plexo braquial; ( C5 - T3 )* Limitação da flexão e rotação do ombro - em sua maioria, por medo;* Linfedema - pela retirada dos linfáticos axilares;* Sensação dolorosa e de peso no ombro - associada ao linfedema;* Limitação da expansibilidade torácica - onde a Fisioterapia deve intervir imediatamente;*Parestesias.O Fisioterapeuta deve iniciar o tratamento no 1o- DPO.Muitos são os objetivos da Fisioterapia em Mastectomizadas, entre eles estão:* Prevenir ou diminuir as complicações respiratórias;* Prevenir complicações circulatórias ( TVP );* Prevenir complicações osteomioarticulares;* Evitar aderências, cicatrizes e quelóides;* Manutenção das ADMs;* Manutenção da Força muscular;* Prevenção de linfedema;* Diminuir algias;* Reeducação postural;* Relaxamento;* Alongamento;* Melhorar movimentação global;* Incentivar a auto-estima.Inúmeras condutas poderão ser utilizadas para atingir o objetivo final da Fisioterapia, que é devolver a paciente à sociedade sem limitações residuais.A paciente tem alta no 5o- ou 6o- DPO, e o objetivo da Fisioterapia até liberação da mesma é alcançar um estado geral bom, com ADMs em flexão e abdução do membro superior homolateral à cirurgia de, no mínimo, 90 ( noventa ) graus.As condutas no pós-cirúrgico imediato, em geral, seguem um protocolo. Entre elas podemos encontrar:Reeducação respiratória - Padrões ventilatórios: Inspiração profunda, Inspiração em dois tempos, Inspiração em três tempos e Soluço inspiratório;* Uso de TENS para alívio da dor;* Drenagem postural para linfedema, além de massoterapia e Compressão pneumática;* Mobilização ativa e ativa resistida dos membros superiores, para manutenção das ADMs e ganho de Força muscular;* Deambulação precoce;* Realização de todos os movimentos possíveis com o MS homolateral à cirurgia, dentro da capacidade da paciente;* Esclarecimento de que a Fisioterapia e a utilização dos MMSS não afetarão a recuperação cirúrgica.Passada esta etapa, e após a alta, as pacientes são atendidas em grupo misto de tempo cirúrgico, para motivá-las a continuar a Fisioterapia. O atendimento passa a ser ambulatorial e o protocolo é diferenciado, onde regularmente elas são reavaliadas.

   Conclusão A Fisioterapia inicia seu trabalho com cuidados no leito, orientando a respiração correta e as posturas que favorecem a amplitude de movimento e aumento da circulação. É importante vermos a mastectomizada como uma pessoa que sofre de problemas não só físicos, como também psíquicos, e tentar ajuda-la a superar essa crise, inclusive para obtermos aceitação do tratamento fisioterápico.A crioterapia relaxante para membro superior tem como efeito principal à diminuição da dor, conseguindo até mesmo abolir a administração de analgésicos na fase pós-operatória imediata. Além disso, trabalhamos com criocinética, que é a aplicação da crioterapia associada simultaneamente aos exercícios. Estes exercícios devem ser, de preferência isométricos para não despertar dor e conseguirmos aumento da força muscular e seu relaxamento. Porém, também é necessário trabalharmos com exercícios ativos, até mesmo resistidos, para conseguirmos a amplitude total de movimento do ombro, posteriormente.

  O tratamento fisioterápico deverá ter a sua continuidade, após a alta hospitalar.Ressaltamos que a Fisioterapia no pós-operatório a mastectomia, como indispensável para  a reabilitação da paciente, paralelo ao tratamento médico. Através dele a mulher mastectomizada consegue a amplitude total e funcional dos movimentos do membro superior do lado da cirurgia, melhora da sensibilidade, prevenção de postura defeituosa, diminuição da sintomatologia dolorosa, prevenção do linfedema, profilaxia das complicações pulmonares e apoio psicológico.

MOTORA
 

   A fisioterapia, como associação de procedimentos utilizados para tratar e prevenir diversos tipos de lesões e doenças no corpo humano, é extremamente importante em todas as fases da vida humana, tanto na prevenção como no tratamento de problemas de saúde. Ela pode ser realizada em clínicas ou consultórios especializados ou no domicílio do paciente, com toda a comodidade e facilidade. Um dos ramos mais procurados dessa especialidade é a fisioterapia motora, também chamada de fisioterapia traumato-ortopédica.As técnicas aplicadas nas sessões fisioterápicas motoras são variadas, sendo combinadas e aplicadas conforme a necessidade específica de cada paciente, levando em consideração a sua idade, o tipo de lesão, a evolução da doença ou disfunção, entre outros aspectos.As vantagens da fisioterapia e de estimulaçãoA fisioterapia motora domiciliar é utilizada tanto para prevenir quanto para tratar problemas dos músculos, ossos, articulações e tendões do corpo, sobretudo em casos de fraturas, cirurgias e patologias específicas. As principais vantagens dessa especialidade são a recuperação da função motora e o alívio das dores comuns à diversos quadros médicos relacionados.Na prevenção, o fisioterapeuta identifica e corrige problemas posturais, musculares e ósseos que podem ocasionar lesões futuras graves.

    No tratamento, diversas doenças são englobadas, principalmente as lesões por esforço repetitivo (LER/DORT), hérnias de disco, tendinites, recuperação pós fraturas e cirurgias ortopédicas, problemas posturais e de ligamentos, disfunções neuromotoras, entre tantas outras. Tais tratamentos promovem a substancial melhora da qualidade de vida do paciente.As técnicas utilizadas para a fisioterapia são combinadas entre si e adequadas conforme a necessidade individual do paciente. Entre as principais, estão a massagem, os exercícios específicos, tratamentos com água em temperaturas alternadas e também com aparelhos próprios.  

ESTIMULAÇÃO PRECOCE
 

    A estimulação precoce é o atendimento direcionado aos bebês e crianças com risco ou atraso no desenvolvimento (prematuros de risco, baixo peso, síndromes genéticas, deficiências, paralisia cerebral e outras), aqueles que durante o período gestacional, parto ou após o nascimento, sofreram alguma intercorrência que levou a lesões de estruturas do sistema nervoso e que desencadearam alterações no desenvolvimento neuropsicomotor desse bebê.Tem como objetivo desenvolver e potencializar as funções do cérebro do bebê, atuando no tratamento e na prevenção dessas alterações. Este atendimento é de fundamental importância para os aspectos motores, cognitivos, psíquicos e sociais de seu desenvolvimento.Crianças que nasceram prematuras e/ou com baixo peso podem apresentam sinais de distúrbios de aprendizagem, dificuldades de linguagem, problemas de comportamento, déficits de coordenação motora e percepção visual e espacial na idade escolar. A estimulação sensório-motora em recém-nascidos de risco previne essas alterações.

MASSAGEM TERAPÊUTICA
 

       A massagem terapêutica é um conjunto de técnicas de massoterapia, que baseia-se na aplicação de pressão em pontos específicos do corpo humano de forma a eliminar a fadiga, criando sensações agradáveis e estimulando as defesas do organismo. Vem cada vez mais sendo prescrita por médicos para complementar os tratamentos médicos convencionais nos casos de doenças, contusões e dores visto que um número cada vez maior de pesquisas documentam sua eficácia.Ela reduz os batimentos cardíacos e a pressão sangüínea, aumenta a circulação do sangue e o fluxo linfático, reduz as tensões e espasmos musculares, aumenta a amplitude dos movimentos e ajuda a aliviar a dor, melhorando assim o tratamento médico.A massagem terapêutica envolve a manipulação das estruturas dos tecidos moles. A massagem suaviza e acalma, ajuda na redução do estresse, e pode ajudar na taxa de recuperação do corpo contra contusões, torções e doenças. 

© 2014 KIRE DINAMIC CENTER